O que é monarquia? Tipos no Brasil e no mundo

Perguntas e respostas sobre o que é monarquia. Como se escolhe um sucessor e quem foi o primeiro monarca no Brasil? Qual o tipo existia no Brasil Império?

» Página Inicial


Monarquia é um sistema politico onde é governante maior é um Rei e sua família. Monarquia é o mesmo que realeza, reinado e reino. Geralmente a sucessão é hereditária, sendo o cargo passado do rei para um parente de acordo com sua ordem de sucessão. Na sucessão eletiva, os monarcas são eleitos por um corpo eleitoral, que em votação decide a sucessão dos monarcas.

É um regime de governo em que um rei – o monarca – governa uma região como chefe de estado até sua morte ou abdicação do cargo. O monarca ainda pode ser também chefe de governo, o que dá todos os poderes do país em suas mãos. Após a morte ou abdicação outro monarca, seja Rei ou Rainha assumirá seu lugar.

Trata-se do sistema de governo mais antigo que ainda é praticado. Na Europa, após um período obscuro de aproximadamente 1000 anos em que a administração era completamente fragmentada e os líderes máximos eram os senhores feudais, a monarquia ressurgiu forte no início da Idade Moderna com o que ficou conhecido como absolutismo monárquico. Nesse período, o poder era centralizado nas mãos do rei e a nobreza detinha enormes privilégios.

Uma das monarquias antigas mais conhecidas talvez seja a de Roma, a qual ocorreu entre 753 a. C. e 509 a. C., aproximadamente, quando Roma foi dominada pelos etruscos, um povo que viveu ao sul do rio Arno e a norte do rio Tibre, região chamada antigamente de Etrúria. Em 509 a. C., o rei Tarquínio, o Soberbo, foi derrubado pelos romanos e foi então fundada a República Romana.

monarquia

Os principais monarcas na história são principalmente os absolutistas. São eles: Elizabeth I e Henrique VII (Inglaterra); Luis XIV, Luis XV e Luis XVI (França), Fernando de Aragão e Isabel de Castela, Fernando VII (Espanha); Nicolau II (Rússia); Dom João V (Portugal);

Quais países ainda vivem na monarquia?

Hoje existe um total de 44 monarquias. 20 delas são Commomwealt (Comunidade de nações), 14 reconhecem o Reino Unido como nação. Os 44 países são: Vaticano, Luxemburgo, Japão, Brunei, Catar, Kuwait, Emirados Árabes Unidos, Mónaco, Liechtenstein, Andorra, Tuvalu, Tonga, Tailândia, Suécia, Suazilândia, São Vicente e Granadinas, São Cristovão e Nevis, Santa Lúcia, Reino Unido, Papua Nova-Guiné, Nova-Zelândia, Países Baixos, Noruega, Marrocos, Malásia, Lesoto, Jordânia, Jamaica, Ilhas-Salomão, Granada, Espanha, Dinamarca, Canadá, Camboja, Butão, Belize, Bélgica, Barbados, Bahrein, Bahamas, Austrália, Arábia Saudita e Antígua e Barbuda.

O que foi o absolutismo?

Diferentemente de como passou a ser feito mais tarde, com o advento das monarquias parlamentaristas, onde quem toma decisões são os parlamentares em conjunto, o absolutismo monárquico centralizava todo o poder nas mãos de apenas uma pessoa: o rei. O rei controlava as forças armadas, a política externa e, até mesmo, os assuntos pertinentes à religião.

Formou-se, com o absolutismo, um exército nacional unificado, sendo proibida a existência de exércitos particulares. Além disso, após a unificação do sistema monetário, eram cobrados pesados impostos da população, os quais serviam basicamente para sustentar a vida luxuriosa do rei e sua corte.

As monarquias absolutistas foram as de Portugal, Espanha, França e Inglaterra.

Muitos teóricos procuraram respaldar o absolutismo com argumentos diversos. Dentre eles, podemos citar: Nicolau Maquiavel, italiano, autor de O Príncipe, Thomas Hobbes, filósofo britânico, autor de Leviatã, Jacques Bossuet, francês, autor da teoria do poder divino dos reis, e Jean Bodin, também francês e adepto da teoria do poder divino.

Quem eram os déspotas esclarecidos?

Antes de entender o que foi o despotismo esclarecido, devemos ter clara na cabeça a ideia de iluminismo. Basicamente, o iluminismo foi um movimento burguês que surgiu na Europa, no século XVIII, e tinha como valor principal o uso da razão, apregoando também, e acima de tudo, a liberdade. A famosa Revolução Francesa, por exemplo, foi uma revolução iluminista marcada pelos ideais de igualdade, liberdade e fraternidade (liberté, égalité, fraternité). Tendo isso em mente, fica mais fácil entender quem foram os tais de déspotas esclarecidos. Em primeiro lugar, déspota é o monarca absolutista. Esclarecido porque ele acatava algumas das ideias iluministas e as praticava em seu governo, sem deixar de ser absolutista. Com o despotismo esclarecido, eram feitas reformas nos sistemas administrativos e educacionais, havia maiores incentivos à industrialização, o que agradava a burguesia, era concedida maior liberdade de imprensa etc.

Qual a diferença entre reino e império?

A principal diferença entre reino e império é que no reino ou reinado o monarca governa os seus próprios súditos, isto é, o rei francês governa a França e os franceses, o rei espanhol governa a Espanha e os espanhóis. Já no Império, que é tido como de território maior, o imperador governa os seus e os outros. O imperador romano, por exemplo, governava desde a Península Ibérica até o Oriente Médio, regiões habitadas por diferentes povos, não apenas por romanos.

Como se escolhe um sucessor na monarquia?

A hereditariedade é forma, mais comum de se assumir o poder na monarquia, mas um Rei pode assumir o poder se casando com uma Rainha.

Tipos de monarquia que existe?

Quem foi o primeiro monarca no Brasil?

Dom Pedro I foi o primeiro monarca do Império Brasileiro, ele renunciou do trono para seu filho assumir Pedro II, mesmo sendo menor de idade.

Filho do rei de Portugal, Dom João VI, Pedro I veio para o Brasil ainda muito jovem, com 9 anos de idade, no início do século XIX. Ao contrário de seu pai, monarca absolutista, Pedro I simpatizava com as ideias iluministas e defendia ideais liberalistas e uma monarquia constitucional. Ele é o autor da famosa frase “independência ou morte” quando da sua luta pela independência do Brasil e instituição de um regime monárquico separado do de Portugal, onde ele seria o rei sob as juras de uma Constituição. Apesar da aparência de um liberalismo, Pedro I instituiu o chamado “quarto poder”, o qual lhe conferia poderes sobre todas as demais instâncias (o legislativo e o judiciário), o que nada mais era do que um absolutismo disfarçado.

Quanto tempo durou a monarquia no Brasil?

A monarquia no Brasil durou exatamente 68 anos de 1821 à 1889. Neste período o que mais marcou a história do nosso país, foi a Lei Áurea em 13 de maio de 1888, assinada pela Princesa Isabel, filha de Dom Pedro II e a Proclamação da Republica.

Qual o tipo de monarquia existia no Brasil Império?

Para Dom Pedro II o melhor sistema de governo era a monarquia constitucional, onde existia um parlamento eleito pelo povo. Com o esse parlamento o Imperador tinha o direito de estudar e discutir a política, a administração, os negócios da competência e responsabilidade dos ministros, e se a estes convence pela razão e experiência, a opinião passa a ser ministerial. Ou seja o Imperador deixava de governar sozinho, para dividir com outras pessoa o poder.

Ainda existe monarquia o Mundo de hoje?

Sim, ainda existe monarquia no dias de hoje. Alguns países que usam a monarquia no mundo são:

Esses países funcionam na sua grande maioria com monarquia constitucional, onde o Rei ou Rainha, são apenas cargos simbólicos, porém muitos respeitados e admirados pelo seu povo, pois quem administra o pais é o primeiro ministro e o parlamento


 

Veja também



© 2018   |   Matérias Escolares: Conteúdos para ensino fundamental e médio   |   Política de Privacidade