Curso superior incompleto, o que é e qual o valor disso?

Veja a definição do que é um curso superior incompleto, o valor que isto tem para alguns tipos de graduação e o que acontece quando o aluno tranca a matricula do seu curso. Veja o artigo.

» Página Inicial

Você já deve ter reparado que em muitos casos onde você precisa preencher um cadastro eles solicitam o grau de escolaridade e entre as opções é comum aparecer superior completo e superior incompleto, o que significa isso?

Bem um curso superior é qualquer curso de graduação seja ele bacharelado, licenciatura ou tecnologia. Ele deve ser feito após a conclusão do ensino médio. Quando a pessoa se inscreve em um curso superior e começa as aulas significa que o grau de escolaridade desta pessoa mudou de ensino médio completo para superior incompleto e isto irá perdurar até que a faculdade seja concluída, quando haverá nova mudança no grau de escolaridade, agora para superior completo. Em outras palavras curso superior incompleto é o mesmo que uma faculdade em andamento ou paralisada, por qualquer motivo.

Isto tem algum valor?

Tudo tem o seu devido valor, é claro que tudo irá depender do curso, do que falta para ser concluído e do propósito da pergunta. Uma pessoa que começou um curso de medicina e parou faltando 6 meses para concluir o curso não poderá exercer a profissão de médico, logo neste caso o valor do curso incompleto é muito pequeno. Mas uma pessoa na mesma situação em um curso de ciência da Computação, por exemplo é diferente, pois a profissão de analista de sistemas e programador não é regulamentada, então mesmo que a pessoa não tenha concluído o curso superior, poderá exercer a profissão e neste caso o que ele aprendeu no curso, mesmo não tendo terminado pode ser aproveitado.

Trancar matrícula

As faculdades e universidades permitem que um aluno faça o chamado trancamento de matrícula que é uma paralisação temporária nos estudos com a intenção de retomar tão logo seja possível. Um aluno que tranca a matrícula fica com o curso superior incompleto até que volte a estudar e possa fazer a conclusão da sua graduação.

Não é possível trancar a matrícula no primeiro período. A não ser que seja um caso de doença grave ai a instituição irá analisar. Se o aluno querer sair no primeiro período ele estará abandonando o curso, cancelando para ser mais claro, e não trancando a matricula.

Assim que acontecer o trancamento da matricula o aluno não poderá passar de dois anos com o curso trancado, se não ocorre do aluno perder o que ele já estudou. Antes é muito importante conhecer a politica de cada curso.

Por que muitas pessoas não conseguem terminar o curso superior?

O número de pessoas que desistem de um curso superior é enorme, chegando a mais de 55,6% que não terminam o ensino acadêmico superior. Vamos conferir os principais motivos que levam uma pessoa a não terminar o curso na faculdade:

Muitas vezes, os estudantes começam a fazer um curso, mas à medida que o tempo passa, percebem que aquela graduação não era bem o que eles esperavam, gerando então uma grande frustração e a desistência rápida do curso superior.

Quando isso acontece, o melhor a se fazer é rever as prioridades pessoais e profissionais, verificando outras áreas profissionais de interesse da pessoa.

Teste vocacional

É um teste determinado para verificar as áreas de interesse profissional de uma pessoa, baseado em sua personalidade e capacidade.

  1. O estudante responde a uma série de perguntas relacionadas à carreira, gostos pessoais e profissionais;
  2. Ao final do teste, é avaliado todas as possíveis áreas profissionais que o estudante poderá atuar, até mesmo as sugestões de profissões.

Exemplos:

Para se ter mais certeza de qual profissão seguir sem precisar desistir do curso no meio do caminho, deve-se escolher um bom teste vocacional, devidamente certificado pelas instituições sérias do país ou mesmo elaborado por psicólogos e psicoterapeutas.

Nem todos os testes vocacionais são assertivos, porque muitas vezes não retrata corretamente os perfis de cada profissão, gerando uma certa confusão e dúvida na cabeça dos estudantes.

A pressão de familiares, amigos e da própria sociedade, levam os jovens a decidirem por uma profissão rápido demais ou baseando-se apenas na opinião das pessoas, gerando uma grande frustração a longo prazo, desistência da faculdade, profissão e até mesmo a desgastes psicológicos e físicos.

Desistir de um curso superior não é o fim do mundo, mas isso é algo que deve ser observado e entendido para que não se repita, já que todos têm o direito de escolherem a profissão que mais agrade e tenha a ver com o perfil pessoal de cada pessoa.

Escolher uma profissão não precisa ser uma tarefa longa e difícil, entediante e cheia de pressão. Andando pelos caminhos certos, é possível encontrar a verdadeira vocação de cada pessoa.

Por Redação, Aline Priscila da Silva Muniz Nóbrega e G Produções Editoriais


 
Veja também: