EJA ou supletivo. Mobral, Educação de Jovens e Adultos

Perguntas e respostas sobre o EJA – Educação de Jovens e Adultos ou supletivo. Diferença dele para o antigo Mobral. Dúvidas sobre preconceito com supletivo, EJA no Enem e outros.

» Página Inicial

Supletivo é uma modalidade de ensino destinado a pessoas que não concluíram os estudos no ensino fundamental e médio na idade considerara normal para essas etapas. Ele geralmente é feito com metade do tempo de uma escola normal e pode ser frequentado por pessoas que tenham no mínimo 15 anos para o ensino fundamental e 18 anos para o ensino médio.

Atualmente não é usado mais este termo e sim EJA, como será visto a seguir.

EJA é a sigla para Educação de Jovens e Adultos e é o nome atual para o supletivo. Ou seja, formalmente não se usa mais o termo supletivo e sim EJA, ainda que na prática sejam a mesma coisa, mas a nova nomenclatura é mais apropriada para refletir esta modalidade de ensino.

O EJA pode ser de ensino fundamental ou de ensino médio.

EJA ou Supletivo

O que é o Mobral?

O Mobral foi uma modalidade de ensino nos moldes do supletivo. Criado pelo regime militar em 1967 permaneceu ativo até os anos 80. A função do Mobral era basicamente proporcionar a alfabetização e letramento a pessoas em idade acima da idade convencional escolar.

O EJA tem o mesmo valor que a escola regular?

Sim. Ele tem o mesmo valor por é regulamentado e o certificado emitido é dos mesmos órgãos, geralmente as secretarias estaduais de educação. Portanto seu valor em termos de conclusão de estudos é o mesmo.

Quem faz EJA aprende menos?

Não necessariamente. O fato dele poder ser feito em período mais curto está provavelmente associado com o fato de pessoas adultas terem maior responsabilidade e consequentemente poderão se dedicar mais. Mas não significa que ele irá aprender menos, é claro que isto pode acontecer, mas dependerá muito da pessoa e do empenho que ela dispender para tal.

Quem faz supletivo pode fazer faculdade?

Pode. Quem conclui o EJA e obtém um certificado legal de conclusão do ensino médio, poderá prestar vestibular e sendo aprovado poderá se inscrever normalmente no curso em que foi aprovado. Isto inclui universidades públicas, bastando o aluno atender às exigências e ser aprovado no processo de seleção ou vestibular.

Existe preconceito para quem faz supletivo?

Sim, existe. É lamentável afirmar isto, mas é um fato. O que acontece é que as pessoas de uma maneira geral são preconceituosas. Veja: existe preconceito contra negros, nordestinos, por quem faz faculdade a distância, por quem é evangélico, entre outros. Por que não haveria contra quem faz supletivo?

Na verdade o preconceito ocorre quando algo se parece diferente daquilo que a sociedade reputa como sendo normal ou dentro dos padrões que eles mesmos determinam, intencionalmente ou culturalmente com o passar do tempo.

Mas é claro que uma pessoa que tem preconceito contra supletivo, terá contra outras coisas e, portanto, eu considero sua opinião desprezível. Faça o mesmo.

Vale a pena voltar a estudar?

Vale sim. Voltar a estudar é para muitas pessoas muito mais do que buscar novas oportunidades. O estudo nos ajuda muito e abre a nossa mente para ver o mundo de forma diferente.

O Enem pode ser usado como forma de supletivo?

Sim. Desde 2010 a prova do Enem pode ser usada como forma de certificação do ensino médio. Em outras palavras, mesmo que você não tenha concluído o ensino médio, poderá fazer a prova do Enem e se tirar mais de 400 pontos poderá requerer a certificação do ensino médio. Mas para isso, no ato da inscrição você precisará informar que deseja usar a nota do Enem para este fim. Fique tranquilo pois existe uma opção para isto lá no site do Enem.

Existe EJA nas escolas públicas?

Sim. Em quase todas as cidades haverá pelo menos uma escola pública que oferece no período noturno a formação EJA. Nesses casos, geralmente os alunos estudam e concluem os estudos na metade do tempo da escola regular, ou seja, para o ensino médio, por exemplo, nas escolas regulares ele é feito em 3 anos, no EJA seria um ano e meio.

Para saber onde estudar gratuitamente, procure uma escola estadual próximo da sua casa ou a secretaria de educação em sua cidade.


 
Veja também: