Verbo defectivo: unipessoal, impessoal e pessoal

Na língua portuguesa existem varias classificações de verbos, que, as vezes , confundem um pouco os estudantes. Um dos verbos mais utilizados e que causam algumas duvidas são os verbos defectivos. O verbo defectivo possui três tipos: o unipessoal, impessoal e o pessoal. Esses verbos possuem como característica a conjugação incompleta onde não se conjuga […]

» Página Inicial » Português


Na língua portuguesa existem varias classificações de verbos, que, as vezes , confundem um pouco os estudantes. Um dos verbos mais utilizados e que causam algumas duvidas são os verbos defectivos. O verbo defectivo possui três tipos: o unipessoal, impessoal e o pessoal.

Esses verbos possuem como característica a conjugação incompleta onde não se conjuga em todos os modos, tempos e pessoas. Na maioria das vezes, esse tipo de verbo expressa uma idéia que não pode ser aplicada em determinadas pessoas. Eles podem ser conjugados de uma maneira cuja a vogal tônica não pertença a radical.

Com isso, alguns dos verbos que demonstram fenômenos da natureza como chover, ventar, trovejar sempre aparecem na terceira pessoa do singular. Também existem os que exprimem vozes de animais como ganir , zurrar, ladrar, na maioria das vezes só se empregam na terceira pessoa do singular, esses são os chamados verbos Defectivo que não possuem conjugação completa.

Verbos Defectivos Pessoais

Os verbos defectivos pessoais são verbos que não tem uma conjugação completa , na maioria das vezes pertencem a terceira conjugação mas podem ocorrer de estarem também algumas vezes em outra conjugação

O principal  motivo pelo qual esse fato ocorre são diversos: muitos verbos defectivos   se fossem conjugados iriam se confundir com alguns outros, como é o caso de “falar” e “falir” por exemplo, os quais na 1ª pessoa do indicativo iriam ficar do mesmo modo eu “falo”. Assim, somente o verbo “falar” por expressar ação e ser mais utilizado  tem sua conjugação na primeira pessoa do singular do presente do indicativo.

Além do problema de confundir  que os verbos defectivos pessoais poderiam causar, como citado anteriormente, existe ainda outras causas: algumas formas são censuradas  pelo fato  de provocarem sons desagradáveis, por não serem usuais ou simplesmente  por desenvolverem conotações pejorativas.

Os modos de se conjugar os verbos normalmente depende muito dos falantes e, portanto, pode ser mudada, conforme os usuários da língua comecem a utilizar determinada forma de conjugar. Este fato está ocorrendo com o verbo “adequar” por exemplo, expressões como “adéquo”, “adeqúa” vem sendo utilizadas pelos falantes. Pode ser que em breve todas as flexões deste verbo estejam “corretas” para os gramáticos, vendo que  isso já aconteceu antes com os verbos polir, emergir, agir por exemplo.

Alguns  exemplos de  verbos defectivos pessoais:  falir,  reaver, abolir, brandir, colorir, delir,  ruir, exaurir,  puir, delinqüir, fulgir (resplandecer), feder, aturdir, bramir, esculpir,  retorquir, soer (costumar: ter costume de),adequar,doer, banir, carpir,explodir, demolir,extorquir, entre vários outros.

Verbos unipessoais

Os verbos  unipessoais são os verbos que, para fazerem sentido, só permitem um sujeito da 3ªpessoa do singular ou do plural. Por exemplo:

  1. a) os verbos que nos passam uma ação ou um estado demonstrado de um determinado animal, como ladrarrosnargalopartrotarcoaxar, etc.
    Ex:Os cavalos galopam nas montanhas.
  2. b) verbos que nos indicam necessidade, conveniência, quando têm por sujeito um substantivo, ou na oração substantiva, seja diminuída de infinitivo, seja iniciada pela integrante que:
    Ex: Urgem as providências prometidas.
  3. c) também os verbos acontecerconcernirgrassare outros, como constar (= ser constituído), etc.:
    Ex: Aconteceu o que eu esperava.

Verbos impessoais

Esses verbos não tem sujeito, os verbos impessoais são invariavelmente usados sempre  na 3ª pessoa do singular. Sendo assim:

  1. a) Temos os verbos que demonstram fenômenos da natureza, como: alvoreceramanhecer,chovernevartrovejar, etc.:
    Ex: Choveu a noite toda.
  2. b) Temos o verbo haveno sentido  de “existir” e o verbo fazer quando está indicando  tempo decorrido:
    Ex: Houve momentos de medo.         Faz sete anos que não o vejo.
  3. c) Alguns verbos que indicam necessidade, conveniência ou sensações quando acompanhados de preposição em frases do tipo:
    Ex: Basta de provocações!     Chega de lamúrias


 

Veja também



© 2018   |   Matérias Escolares: Conteúdos para ensino fundamental e médio   |   Política de Privacidade