Língua,linguagem corporal e coloquial, conotativa e braile

Perguntas e respostas sobre o que é a linguagem? Quais os tipos existentes, como braile, conotativa, corpotal, libras e outras formas de expressão. Veja as respostas

» Página Inicial

A língua é o instrumento de comunicação composta por regras gramaticais que proporcionam que um determinado grupo de falantes produza enunciado e que consigam comunicar-se e compreender-se.

A língua, portanto possui um caráter social e pertencem aos mais variados conjuntos de pessoas que a utilizam para se comunicar no meio social em que vive e cada grupo se utiliza de formas diferentes, mas todos se compreendem ao usá-la através da escrita ou da fala, sendo que esta está sempre atrelada às regras socialmente estabelecidas da língua, mas ampla o suficiente para um exercício criativo da comunicação ou como costumamos dizer, a língua é viva e por isso todos os dias novas palavras são criadas e muitas outras caem em desuso.

Temos duas maneiras de pronunciar algo e nos dois casos teremos uma mensagem lógica e de fácil entendimento como, no exemplo abaixo:

A fala

A utilização oral da língua é um ato individual, pois cada um pode escolher os elementos da língua que lhe convém, dependendo do gosto, necessidade, situação, personalidade ou contexto em que se encontra. A fala é algo estritamente individual, pois cada pessoa tem seu jeito de se comunicar em meio ao seu grupo social. Portanto para uma pessoa ser compreendida, ela não precisa falar ou escrever igual ao outro.

Língua falada e língua escrita

Linguagem escrita

Não podemos confundir língua com escrita, pois são dois meios diferentes. A escrita representa o estágio posterior de uma língua, pois usamos muito mais a fala para nos comunicar do que a escrita no dia a dia.

A língua falada é mais espontânea e natural e abrange a comunicação linguística em sua totalidade e é complementada pelo tom de voz, por gestos mímicos e fisionomia. No entanto a língua escrita só é adquirida depois que aprendemos a língua falada, porém ela tem um sistema mais rígido e disciplinado, portanto ela deve seguir normas gramaticais, também ela é um registro e permanece ao longo do tempo e não é passageira como a fala.

No Brasil todos falam a Língua portuguesa, mas ela não é uniforme, sofrendo variação de acordo com o assunto, interlocutor ( cada um que participa de um diálogo), ambiente e intencionalidade- fatores que se referem à adequação linguística ( variações linguísticas).

Temos pelo menos dois níveis de língua falada: a culta ou padrão e a coloquial ou popular nesta aparecem gírias, regionalismos e dialetos como veremos a seguir os diversos fatores existentes: fatores regionais, fatores culturais ou sociais, fatores contextuais, fatores profissionais e fatores naturais.

Fatores regionais

Os fatores regionais mostram as diferenças na fala de cada região ou os chamados dialetos e sotaques que estão ligados às características orais da linguagem. Podemos citar a palavra mandioca que em outros lugares são chamados de macaxeira e aipim. As diferenças não acabam entre as regiões, norte, sul, mas também há diferença de quem vive na cidade com quem mora no interior.

Fatores culturais ou sociais

Os fatores culturais advêm da escolarização e formação cultural do indivíduo. Uma pessoa que cursou universidade utiliza a língua de maneira diferente de alguém que não teve acesso a escola. Seu vocabulário é maior do que alguém que não estudou. Portanto está ligada aos grupos sociais. Podemos citar como exemplo; as gírias (pertence ao vocabulário específico de certos grupos, como os surfistas, cantores, tatuadores, etc.), os jargões (está relacionado ao profissionalismo com linguagem técnica) e o linguajar caipira (linguagem típica do interior).

Fatores contextuais

Os fatores contextuais abrangem o modo como falamos dependendo do lugar e com quem estamos. Quando conversamos com nossos amigos tem uma fala mais solta e sem preocupação com a norma culta, diferente de estarmos fazendo um discurso ou em uma audiência com o prefeito de nossa cidade.

Fatores profissionais

Nos fatores profissionais há atividades que requerem o domínio de uma linguagem técnica (termos específicos daquela profissão) podemos perceber isso na linguagem de engenheiros, advogados, químicos, informática, médicos, biólogos, linguistas e outros especialistas.

Fatores naturais

Nos fatores aturais devemos levar em consideração a idade e o sexo. Uma criança não tem o mesmo nível de fala de uma pessoa adulta, por isso dizemos que á uma linguagem infantil e uma linguagem adulta. Também podemos perceber diferenças na fala de um homem e uma mulher.

O que é a linguagem?

A linguagem é o que os difere dos demais seres e é o que nos permite expressar sentimentos, revelar conhecimentos e expor nossa opinião sobre assuntos do nosso cotidiano, e, sobretudo promove a nossa interação ao convívio social. E os fatores que se destacam na linguagem são os níveis da fala sendo eles: o nível formal e o informal. Também podemos contar como linguagem os gestos, expressões corporais, mímicas, sensoriais, etc. Nas quais podemos citar a linguagem de sinais (libras) e o Braile

O padrão formal é ligado diretamente a escrita, restringindo-se às normas gramaticais, por isso não escrevemos da mesma maneira que falamos.

O nível informal representa a linguagem do dia a dia, das conversas informais que temos com familiares e amigos.

A linguagem é a ferramenta pela qual os seres se comunicam uns com os outros. A linguagem, para ser eficiente, envolve diversos elementos. Entre eles, estão elementos sonoros, visuais, gráficos, de gestos, entre outros.

Quais existem?

De todas existentes, algumas delas são a linguagem corporal, linguagem dos sinais, linguagem coloquial, linguagem formal, linguagem conotativa, linguagem objetiva e subjetiva, linguagem artística, linguagem escrita, entre muitas outras.

O que é a libras?

Libras

LIBRAS, Língua Brasileira de sinais, ao contrário do que as pessoas pensam é uma língua com estrutura gramatical própria, que vai muito além de gestos e mímicas. Considera-se a LIBRAS uma língua por possuir os níveis lingüísticos, morfológicos (parte da gramática que estuda as palavras isoladamente), fonológico (estuda o sistema sonoro do idioma), sintático (examina a estrutura de uma oração), e semântico (significado das palavras), mas o que vai diferenciar essa língua das demais é sua modalidade visual-espacial que é dominada por sinais diferente da língua oral auditiva que usa a palavra. A linguagem dos sinais é o meio de comunicação entre deficientes auditivos. Através dos gestos e expressões faciais, uma conexão de compreensão é estabelecida entre os participantes do diálogo. É importante lembrar que a língua dos sinais não é universal. Sendo assim, há variações de país para país, assim como a língua falada. A linguagem brasileira dos sinais é conhecida como Libras, e é ensinada em cursos para deficient

es e em universidades. Algumas escolas são preparadas especificamente para lecionar alunos com deficiências.

O braile é considerado uma linguagem?

Sim, com certeza. Através dos pontos em alto relevo nos papeis, pessoas com deficiências visuais graves conseguem compreender leituras. Há um tipo de compreensão do indivíduo, o que classifica o braile uma linguagem.

O que é o braile?

Braille

O braile é um sistema de leitura para cegos e surgiu AM partir de um método de leitura no escuro desenvolvida por Charles Barbier, para uso militar. O esmo foi modificado pelo francês Louis Braille, que era cego. A mudança deu-se pela modificação dos 12 pontos para 6 pontos, formado por duas colunas com três pontos cada, esse agrupamento possibilita a constituição de 63 símbolos diferentes que representam caracteres na literatura, matemática, informática e música. Conhecendo os símbolos do braile pode-se ler normalmente pelo tato ou visão, já para escrever precisa-se um pouco mais de técnica o que é feito por dois instrumentos o reglete e o punção (instrumento criado para escrita braile que vem acompanhado da punção, espécie de agulha para formar os pontos). Este sistema foi criado em 1825, hoje já há computadores que conseguem traduzir do braile para o braile.

Quais as funções da linguagem corporal?

Linguagem corporal

Estudos afirmam que 93% da nossa comunicação é não-verbal, ou seja, ela se dá através de gestos, postura, expressões faciais e movimentos dos olhos. Esta linguagem é usada a milhares de ano através de estudos científicos feitos por Charles Darwin, de acordo com seus estudos as emoções são universais e seu uso é tão importante para a comunicação quanto o domínio da linguagem verbal.Esta linguagem também é muito importante para a psicologia, pois é através dela que o psicólogo consegue perceber coisas que foram omitidas e ajudar no tratamento dos pacientes. Ela pode ter sentidos diferentes. Como por exemplo, algumas expressões físicas podem demonstrar poder sobre o outro, assim como outras podem representar submissão. São posições que assumimos no dia a dia e não prestamos atenção no significado. Por exemplo, o sinal de “pare” que o guarda de transito executa sem falar nada; todo motorista compreende o significado deste sinal corporal. Mas além dessa comunicação, há dança como expressão corporal. Dança contemp

orânea, em especial, possui muitos significados em apenas um gesto, causando comoção e emoção no público ao qual o espetáculo se dirige.

O que é a linguagem conotativa?

Ela é dotada do que chamamos de figuras de linguagem. Utilizam-se formas diferentes para se dizer algo com a intenção de causar emoção, medo, confusão, entre outros. Por sua vez, a linguagem conotativa possui seu contrário, que é a linguagem denotativa. Esta é responsável pelos sentidos literais, sem exageros ou amenização de sentido.

A linguagem conotativa é utilizada no sentido figurado, ou seja, as palavras ganham um novo sentindo em situações e contextos particulares de uso, dando um novo significado a elas, diferente daquele usado no dicionário. A linguagem conotativa é muito usada nos textos literários e publicitários para atribuir mais expressividade as palavras, expressões e enunciados para causar efeitos de sentido nos leitores. Vejamos o exemplo abaixo.

Amor é fogo que arde sem se ver

Amor é fogo que arde sem se ver;

É ferida que dói, e não se sente;

É um contentamento descontente;

É dor que desatina sem doer

[...]

Luis vaz de Camões

O que é a linguagem denotativa?

Na linguagem denotativa as palavras estão no sentido literal, ou seja, no significado básico das palavras, expressões e enunciados. O sentido denotativo nada mais é que o sentido real das palavras no dicionário. Ela é usada em produção de textos, cujo objetivo é transmitir informação, orientar e argumentar como no caso da reportagem, artigo de opinião, resenha, ata, memorando, manual de instrução, etc. como veremos nos exemplos abaixo.


 
Veja também: