Diferença de linguagem coloquial, formal e regência verbal

Perguntas e respostas sobre linguagem coloquial e forma, como se originou e qual a importância delas no uso do idioma português. Saiba o que é regência verbal.

» Página Inicial

Linguagem coloquial é a linguagem informal, aquela comumente usada, que não atende as todas as regras gramaticais, por ser usada popularmente. Há uma compreensão daquilo que é dito, porém não se utilizam todas as ordens gramaticais, há mais uso de gírias e entre outras formas verbais.

Qual a diferença entre linguagem coloquial e formal?

A linguagem formal é aquela que procura atender com firmeza e rigidez todas as regras gramaticais, sem o uso de palavras não formais (gírias) e que se atém a não cometer erros gramaticais. Já a linguagem coloquial procura sempre fugir da rigorosidade da linguagem formal, dando mais liberdade ao locutor e permitindo o uso de gírias e palavras não comumente utilizadas formalmente.

Onde se utiliza

Linguagem coloquial e formal

A linguagem coloquial é popular, o que implica em informalidade e liberdade, sendo utilizada fora do ambiente de trabalho, em conversas mais despojadas entre amigos e familiares, por exemplo. Por não ser rígida com a gramática, costuma ser utilizada por todos fora de ambientes formais. O uso de gírias, por exemplo, é mais comum entre jovens, porém pessoas de todas as idades e posições sociais se utilizam do recurso da linguagem coloquial no dia-a-dia.

A linguagem formal é comumente vista em textos, livros mais sérios e no ambiente de trabalho. A linguagem formal tem a preocupação com a gramática e por isto é usada em qualquer ambiente que remeta à formalidade.

Como se originou a linguagem coloquial?

Desde os primórdios da humanidade, o homem foi desenvolvendo a escrita após a fala, o que possibilitou o surgimento de regras gramaticais apenas posteriormente, sendo assim, a linguagem coloquial, informal, sempre esteve presente no cotidiano do homem. Com o surgimento da linguagem formal, a linguagem coloquial foi sendo colocada em desuso em ambientes sérios e que necessitavam da rigidez que a linguagem coloquial não permite. Além disso, eram poucos que possuíam acesso à educação, possibilitando o surgimento de palavras de uso próprio e não-formal, bem como gírias.

É a linguagem do cotidiano e é utilizada por praticamente todas as pessoas, tendo elas educação suficiente, ou não. É muito mais utilizada que a formal, pois é mais presente na convivência entre os seres humanos.

Vale lembrar que ela não é permitida em todos os lugares. Textos sérios, ambientes formais e situações em que seja necessário um mínimo de formalidade, são exceções à linguagem coloquial, que serve apenas para ambientes despojados e que não obriguem o locutor a preocupar-se com as normas gramaticais e permitam fluidez do texto.

O que é regência verbal?

Regência verbal é a relação de subordinação que ocorre em uma frase, entre os verbos e seus complementos. A regência pode ocorrer de forma verbal, ou nominal, sendo esta última relativa aos nomes. Quando há regência verbal, diz-se que o termo regente é o verbo.

Não se trata de uma regra ortográfica e sim de uma forma de estudo a respeito do verbo e seus complementos, podendo ocorrer em qualquer texto, ou frase simples.

A regência verbal tem por ocupação promover a não ambiguidade entre as frases, encarregando-se de estudar os complementos e significados dos verbos, observando os adjuntos adverbiais, objetos diretos e indiretos, para que a frase tenha sentido e seu significado seja melhor compreendido.

Ela existe em outros idiomas?

Sim. A maioria dos idiomas que possui estudos de verbos utiliza regência verbal, não sendo exclusividade da língua portuguesa e podendo ser usada em qualquer outra língua, para compreensão dos verbos e seus complementos.

Ela é necessária, pois promove o sentido dos verbos nas frases, promovendo melhor compreensão dos textos.

Ela é ensinada nas escolas?

Sim. O ensino básico é responsável pela formação básica – como o próprio nome já diz – das crianças e jovens que passam do ensino infantil, ao fundamental e médio. Durante este processo de aprendizagem, as regras ortográficas mais importantes e as formas de estudo das demais matérias e do idioma em que a criança, ou o jovem é educado, envolve o estudo de regência verbal. No Brasil, é comum que esta forma de estudo seja ensinada aos alunos do ensino fundamental entre sétima e oitava série (dependendo da escola e se é pública, ou não), ou até mesmo de maneira mais aprofundada no ensino médio.

Existe diferença da regência verbal nas linguagens coloquial e formal?

Não faz diferença entre as formas de linguagem, não sendo utilizada na linguagem coloquial, uma vez que é mais informal e casual do que a linguagem formal, podendo não ser necessária. A linguagem formal possui verbos da mesma forma que a linguagem coloquial e o estudo dos verbos é comumente feito em linguagens formais.


 
Veja também: