Qual a diferença de porque, porquê, por que e por quê?

Veja neste artigo qual a diferença do uso de porque, porquê, por que e por quê na língua portuguesa. Veja quando usá-lo em perguntas, respostas, como substantivo e ao final de perguntas. Entenda o artigo.

» Página Inicial » Português


Dificilmente nós, falantes da Língua Portuguesa, erramos o uso dos porquês na linguagem oral. São palavras que usamos constantemente e sem dificuldade. Na linguagem da internet, o internetês, há quem use “pq” por mera questão de comodidade, evitando-se assim, o incômodo de pensar qual o porquê adequado para cada caso.

A língua escrita, com sua formalidade, exige um certo esforço dos falantes já que requer o uso correto da gramática portuguesa. Neste caso, faz-se necessário que dominemos as regras dos porquês.

Uma das regras mais difíceis de assimilar, certamente é o uso dos porquês, já que há quatro formas de empregá-los em nosso idioma e cada um dele em situações bem distintas, portanto é necessário a compreensão do mesmo para que possamos fazer o uso correto dele. Vamos às regras:

Diferenças de porque

PORQUE (junto e sem acento circunflexo)

É uma conjunção normalmente usada em respostas. Perceba que pode ser trocado por: pois, já que, uma vez que e como. Também serve explicações e causas.

Exemplos:

  • Ele não veio porque está doente.
  • João decidiu ir sozinho porque sua esposa ignorou a mensagem de texto.
  • Escolhi essa companhia aérea porque é mais barata.
  • Sua mãe ficou nervosa porque você chora sem motivo.
  • Sempre compro em lojas virtuais porque não tenho paciência com vendedores.

PORQUÊ (junto e com acento)

Funciona como substantivo e vem logo depois de um artigo ou de um pronome. Representa um motivo, uma razão.

Exemplos:

  • Ela falou mal de mim. Gostaria de saber o porquê!
  • Eis o porquê de eu ter me afastado.
  • Você e seus eternos porquês.
  • Diga-me apenas um porquê desse pedido!
  • Depois eu soube o porquê do diretor ter gritado tanto.
  • O chefe quis saber o porquê de o funcionário ter faltado.

POR QUE (separado e sem acento)

É usado em perguntas, títulos e manchetes. Estão subentendidas as palavras “motivo” e “razão”. O POR é uma preposição. Já o QUE pode ser um pronome interrogativo ou relativo.

Exemplos:

  • Por que você foi à festa ontem?
  • Eu quero saber por que você voltou a comprar cigarros.
  • O título da reportagem é: Por que o preço dos livros está tão salgado?
  • Por que você não me ligou?

Quando o QUE é um pronome relativo, ele pode ser substituído por “pelo qual, pela qual, pelos quais ou pelas quais”:

Exemplos:

  • – Ela me contou por que ficou tão desesperada. (= me contou o motivo, a razão pela qual ficou desesperada)
  • – O caminho por que viemos é o mais rápido. (= pelo qual)
  • – Todos os moradores sabem as razões por que precisamos nos reunir. (= pelas quais)
  • – Não sei por que não estou com vontade de ir vê-lo.
  • – Esse é o motivo por que não entreguei a tarefa, professora.

POR QUÊ (separado e com acento)

Esse tipo ocorre sempre no final de frase ou quando logo depois vem um ponto de exclamação ou interrogação.

Exemplos:

  • Gostaria de saber, por quê?
  • Você não me ligou. Por quê?
  • Não estamos nos sentindo confiantes para perguntar por quê!
  • Ela mentiu esse tempo todo e você sabe bem por quê.


 

Veja também



© 2018   |   Matérias Escolares: Conteúdos para ensino fundamental e médio   |   Política de Privacidade