Como usar a pontuação: ponto e vírgula, reticências e aspas

» Página Inicial

Quando começamos a observar melhor a forma de falar comparando a com nossa linguagem escrita percebemos diferenças muito visíveis. Porém, a dificuldade maior está na forma de escrever.

A escrita correta é algo que poucos conseguem desenvolver. Isto se deve ao fato de que não temos o costume de ler livros ou revistas. Muito menos de prestar atenção na forma como as frases e palavras são escritas.

Isso reflete claramente em nosso modo de escrever. Porém o que é possível perceber é que o brasileiro tem dificuldades em utilizar a pontuação.

E não é para menos, graças à internet, utilizamos cada vez menos nossos recursos linguísticos. A internet criou seu modo próprio de se comunicar. O que resultou em pouco conhecimento no nosso português padrão.

Quadro este que não é irreversível. Podemos mudar essa situação. Basta criar o costume de ler constantemente e buscar informações sobre a gramática em nossa língua.

E, assim que aprendemos a utilizar, é difícil esquecer, pois a regra é única. Tem pouco tempo que ela sofreu alterações, entretanto, essas mudanças foram mínimas o que não afetou muito as questões que envolvem o português.

Um item que foi pouco afetado é a questão a pontuação, assunto que será abordado neste texto. Aqui iremos tratar sobre três casos bem específicos: o ponto e vírgula, as reticencias e as aspas.

Como usar pontuação

Primeiro tema: ponto e vírgula

Esse é um ponto indicado por um sinal de vírgula com um pontinho em cima. Pouquíssimas pessoas realmente sabem utilizar essa pontuação.

Quando ela surge em uma frase, o sujeito terá que dar uma pausa menor que a de um ponto final, mas um pouco mais que uma vírgula, fica no meio termo.

Quando um texto é lido e a pessoa se depara com essa pontuação, precisa dar o tom certo, para que o texto não fique sem sentido. Ela terá que dar uma pausa descendente, ou seja, sem demonstrar que a frase terminou, porém parando um pouco com a leitura.

Agora, em casos gramaticais, é outra situação. Veja aqui uma pequena lista enumerando os principais casos e alguns exemplos dessas situações para melhor compreensão:

Frases coordenadas, as quais não possuem ligação por uma conjunção, porém uma complementa a outra;

Em orações coordenadas, que já possuem uma vírgula: No final dez estudantes votaram a favor; sete, contra;

Quando realizamos a enumeração em uma lista.

Segundo tema: reticencias

Essa é uma pontuação pouco utilizada, pois ela é mais voltada a questões de interrupção de uma ideia ou fala.

Com isso quero dizer que, durante uma frase, a pessoa que estiver lendo deverá imaginar que não ocorreu uma continuidade naquele pensamento. Por esse motivo a frase foi cortada pela metade, sendo necessário dar esse tom para a frase.

Recurso que é muito utilizado em histórias, devido a relação que o personagem deve estabelecer junto ao leitor. É preciso que ocorra um vínculo entre eles, para que resulte em compreensão do conto.

E mais, quando uma ação não está acabada, se quiser dar um ar de suspense na oração, dar ênfase a um termo e demonstrar uma citação de alguém, a qual não está completa, utiliza-se reticências.

Pode não parecer, mas essa pontuação é muito ampla, qualquer pessoa pode utilizar em frases, desde que seja de forma correta, empregando nos casos mencionados acima.

Terceiro tema: aspas

E para finalizar este artigo sobre alguns sinais de pontuação de nossa gramatica temos as aspas, os dois risquinhos que ficam no alto de algumas frases.

Certas orações iniciam com as aspas, mas sabe o motivo disso? Provavelmente não, porque é raro o uso e mais raro quem sabe utilizar do jeito certo.

As aspas são pontuações que demonstram o destaque de algo em uma oração, seja de um termo, expressão, fala de um autor, ou qualquer outro tipo de vocábulo que merece maior atenção do leitor.

Normalmente são utilizadas no início de uma citação de autores, quando utilizamos uma parte de um texto que não é nosso, ou seja transcrevemos parte de um texto e quando vamos mencionar o nome de algum artista ou obra dele em uma oração.

Também fazemos uso das aspas em situações nas quais existe a necessidade de colocar alguma gíria ou outra expressão informal.


 
Veja também: