Significado de liberalismo clássico e moderno

Qual a diferença entre o liberalismo clássico ou tradicional para a vertente moderna dele. Veja esta comparação e entenda suas diferenças e similaridades. Confira o artigo completo.

» Página Inicial


O Liberalismo é uma corrente político-econômica e filosófica nascida no final do século XVIII e início do século XIX na Europa e Estados Unidos, que tinha por primazia a liberdade cívica, econômica e social de cada indivíduo. No liberalismo, a noção de liberdade não era mais um privilégio ou algo acessório, mas o conceito fundamental para a construção de uma sociedade.

Seu surgimento se deu principalmente pelo desenvolvimento do capitalismo (revolução Industrial) e pela filosofia Iluminista que inspirou a Revolução Francesa, cujos principais valores eram os de Liberdade, Igualdade e Fraternidade. No liberalismo, todas as formas de poder deveriam, portanto, não mais censurar, mas permitir o livre desenvolvimento de cada indivíduo, garantindo as suas condições mínimas.

Liberalismo

Liberalismo clássico

Também denominado tradicional ou Laissez-Faire, ele tem por primazia a interferência mínima do Estado na Economia. Segundo os liberalistas clássicos, as sociedades eram regidas por leis e não por homens e, por isso, a centralização de poder e o rígido controle em todos os aspectos da sociedade (principalmente econômico) deveriam ser combatidos e destruídos.

A função do Estado, nas políticas liberalistas clássicas é a de proteger os homens, garantindo as condições mínimas para a sua sobrevivência e crescimento, que por sua vez, é regido pela economia.

Segundo o liberalismo clássico, com o Estado garantindo a intervenção mínima para a proteção dos homens “de si mesmos”, as sociedades se ordenariam espontaneamente, como se houvesse uma “mão invisível” para orientar a economia e o crescimento da sociedade. Dessa forma, os principais valores exaltados por ele são: o livre mercado, o jusnaturalismo, o utilitarismo, e o progresso.

Liberalismo moderno

Também denominado liberalismo social ou novo liberalismo, o liberalismo moderno tem por primazia fundamental as políticas de colaboração mútua, em contraposição à utilização da força para a resolução de situações políticas.

Surge como uma resistência ao liberalismo clássico e, principalmente, ao capitalismo radical, utilizando-se dos valores políticos e econômicos do liberalismo em junção com as ideologias das escolas socialistas, tendo como objetivo principal a proteção e aumento da liberdade dos indivíduos desfavorecidos da sociedade.

O principal objetivo do liberalismo social não é o progresso econômico, mas a expansão das liberdades individuais e das relações sociais de cada cidadão. Para o liberalismo social, os governos devem defender e garantir os direitos humanos e a liberdade civil, incluindo, inclusive a legalização de determinadas práticas socialmente proibidas, como o uso de drogas.


 

Veja também



© 2018   |   Matérias Escolares: Conteúdos para ensino fundamental e médio   |   Política de Privacidade