Primeira Guerra Mundial. Causas, local, motivos e seu fim

Perguntas e respostas sobre a Primeira Guerra Mundial. Onde ela ocorreu, quais foram os motivos que levaram à guerra, como terminou o conflito, entre outras perguntas.

» Página Inicial

O que foi a primeira guerra mundial?

A Primeira Guerra Mundial ocorreu entre os anos de 1914 e 1918, envolvendo quase todos os países da extensão global. Um pouco antes desse período, muitas foram as mudanças, tanto tecnológicas quanto socioeconômicas, principalmente nos países europeus.

Quanto mais eles se industrializavam, maior era a disputa por terras e domínios – não só no continente, como em todo o mundo - , pois para que uma indústria cresça e se mantenha é preciso matéria-prima e um mercado consumidor. Por esse motivo, fazia-se necessária a conquista de regiões que pudessem oferecer ambas as coisas: matéria-prima em geral, como minerais, e pessoas interessadas em comprar produtos importados da Europa. Nessa brincadeira, dominou-se mais de 90% do continente africano e mais da metade do continente asiático.

Diante dessa enorme instabilidade política, provocada sobretudo pelo imperialismo exacerbado das potências europeias, que lutavam por sua fatia do terceiro mundo, formaram-se alianças, as quais vieram a se confrontar no primeiro conflito armado de proporções mundiais. Eram duas as alianças: a Tríplice Entente e a Tríplice Aliança. A Tríplice Entente era formada por França, Inglaterra e Rússia; e a Tríplice Aliança, pela extinta Áustria-Hungria e pelas recém-unificadas Itália e Alemanha. Durante a guerra, a Tríplice Entente passou a ser chamada de Aliados, contando ainda com outros países como o Japão e os Estados Unidos; já a Tríplice Aliança ficou conhecida como Potências Centrais, contando também com o antigo Império Otomano, atual Turquia, e com a Bulgária.

1ª Guerra Mundial

Quais foram os motivos que levaram à guerra?

Um dos grandes motivos da primeira guerra mundial teve relação com a concorrência, principalmente econômica, entre os países da Europa, tornando a disputa por matéria prima e mercados consumidores cada vez maiores.

Além disso, a disputa de terras entre os continentes da Ásia e África pelos europeus também causou uma grande gama de conflitos na região. França e Inglaterra ficaram com as terras ricas em recursos, enquanto Itália e Alemanha ganharam áreas com pouco valor para investir. O descontentamento também levou ao início da guerra.

O próprio nacionalismo presente em cada nação também foi uma das causas que intensificaram o contexto da Europa pré-guerra.

Mas o que realmente motivou o conflito, isto é, o que gerou um último, e fatal, foco de tensão entre as potências, foi a disputa pela região balcânica, também conhecida como Bálcãs, situada no sudeste da Europa. A Rússia e a Sérvia, ambos países de etnia eslava, tinham o sonho de criar o que batizaram de Grande Sérvia, unificando os territórios da região balcânica, povoados por eslavos. Essa ideia fazia parte da ideologia nacionalista do pan-eslavismo, a qual pregava que todos os eslavos da Europa compunham uma grande família, da qual a Rússia, a gigante, era protetora. No entanto, a Áustria-Hungria estava de olho na região e, em 1908, anexou ao seu território as províncias da Bósnia-Herzegovina, o que não agradou nem um pouco os sérvios.

O estopim para o início da guerra ocorreu no dia 28 de junho de 1914, na cidade de Sarajevo, na Bósnia-Herzegovina. Nesse dia, o príncipe austro-húngaro, o arquiduque Francisco Ferdinando, fazia uma visita de carro à capital da Bósnia. Então, um militante pan-eslavista, pertencente a uma sociedade secreta ultranacionalista, a Jovem Bósnia, ramificação da Mão Negra, chamado Gravilo Princip, matou a tiros o príncipe e sua esposa. Com isso, imediatamente, a Áustria-Hungria invadiu a Sérvia e a política de alianças fez o seu papel: a Rússia, que defendia a Sérvia, declarou guerra à Áustria-Hungria; a Alemanha, aliada da Áustria-Hungria, declarou guerra à Rússia e, aproveitando a oportunidade, decidiu lutar em duas frentes, invadindo então a França; a Inglaterra, aliada da França e já há tempos com medo da expansão da indústria alemã, declarou guerra à Alemanha; a Itália, aliada da Alemanha, declarou guerra à Inglaterra, e por aí vai...

Como foi o desenvolvimento da guerra?

Grande parte das batalhas ocorreu em trincheiras, sendo que soldados chegavam a passar mais de 100 dias nas mesmas para a conquista de pequenos espaços.

Além disso, durante a guerra, as novas tecnologias bélicas também foram utilizadas, principalmente nos aviões e tanques de guerra. Enquanto os homens lutavam, as mulheres deveriam trabalhar em indústrias para manter as famílias.

Quanto ao desenrolar da guerra, tudo começou quando a Alemanha, a caminho da França, invadiu a Bélgica. O exército alemão não teve dificuldades em derrotar os franceses, pegos de surpresa. A Rússia então realizou uma ofensiva contra a Alemanha, o que obrigou a retirada de parte das tropas alemãs da frente ocidental e translado das mesmas para reforço na frente oriental. Com o enfraquecimento da frente oeste, ingleses e franceses venceram os alemães na que ficou conhecida como Batalha do Marne. Com isso, em terras francesas, após recuarem, os alemães estabeleceram trincheiras, dando início à “guerra de trincheiras”. Trincheira nada mais é do que um buraco fundo cavado no chão de dentro do qual os soldados, protegidos por arame farpado e sacos de areia, atiravam em seus inimigos.

Ainda em 1914, o Japão, do lado dos Aliados, declarou guerra à Alemanha. A Itália, que pertencia, a princípio, ao bloco das Potências Centrais decidiu juntar-se aos Aliados. A Alemanha obteve sucessivas vitórias na frente oriental, massacrando o exército russo. No ano seguinte, uma boa parte do território da Rússia estava ocupada por tropas das Potências Centrais. Em 1918, atendendo ao clamor popular, o governo russo assinou, com a Alemanha, o Tratado de Brest-Litovsk, o qual firmava a paz entre os dois países.

Na frente sul, os italianos, que desejavam conquistar territórios austro-húngaros, perdem, para a Áustria, a Batalha de Caporetto.

Como terminou o conflito?

Em 1917, os Estados Unidos entraram para a guerra, do lado da Tríplice Entente, apoiando França e Inglaterra.

O impacto do país de primeiro mundo fez com que esse grupo vencesse guerra, o que forçou os países da Tríplice Aliança a assinarem a própria rendição. Alemanha, Itália e o Império Austro-Húngaro tiveram então de assinar o Tratado de Versalhes, impulsionando uma série de punições e restrições para os mesmos.

A Alemanha, por exemplo, teve que reduzir o número de seus soldados, além de autorizar o controle na indústria bélica. Eles também perderam uma região da França chamada ‘Alsácia Lorena’ e o ‘corredor polonês’.

Na Alemanha, o tratado de Versalhes ganhou uma série de repercussões, sendo ele um dos grandes influenciadores da Segunda Guerra Mundial.

Morreram cerca de 10 milhões de pessoas e a inflação disparou em vários países, principalmente na Alemanha.


 
Veja também: