Tipos de ventos: Brisa e alísios, ciclones e furacões

Perguntas e respostas sobre o que são e os tipos de ventos, como os alísios e contra-alísios, ciclones, monções, furacões e tufões. Veja a definição deles.

» Página Inicial

O vento é o ar atmosférico que dá movimento natural, causa agitação e até mesmo corrente de ar, modificando o clima de um lugar. São vários os tipos de vento e, em partes, essas diferenças se devem as variações de sua velocidade.

Por ser um fenômeno meteorológico, ele recebe várias classificações, de acordo com a sua intensidade e características que ele apresenta. Geralmente ele é classificado como brisa, alísios, contra-alísios, monções, ciclones, furações ou tufões. Veja abaixo:

Tipos de vento

Brisa

A brisa é o vento leve que todo mundo espera ansioso ao longo de um dia de verão. Totalmente agradável não só ao homem, mas também aos demais seres vivos, existe a brisa marítima, que é aquela a beira mar e a brisa terrestre. Em ambos os casos a sensação é de conforto.

A maior parte do tempo o vento que sopra sobre nós é uma brisa que pode variar um pouco ao longo do dia, de um dia para outro ou mesmo de região para região. Contudo é um sopro calmo e leve.

Alísios

Ventos alísios por sua vez são um pouco mais fortes do que as brisas, regulares e bem constantes. É o tipo de vento que permite a prática de esportes como navegação em vela, asa delta e windsurf. Também é este o tipo de vento preferido pelas crianças na hora de empinar pipa.

Esse tipo de vento sopra dos trópicos em direção ao equador e são mais comuns no nordeste no hemisfério Norte e de sudeste no hemisfério Sul, das regiões tropicais em direção ao equador, e são mais fortes durante o inverno.

Geralmente é o que vem logo após a brisa, ou seja, é a classificação de um nível acima, pois quando o vento deixa de ser calminho e suave e ganha mais intensidade e regularidade, ele passa a ser alísio.

Contra-alísios

Soprando do equador para os tópicos, os ventos contra-alísios têm como uma de suas principais características a secura, sendo bastante comuns em meio aos desertos. Outra característica é que eles ocorrem a mais de 3000 metros de altura.

Monções

Comuns em algumas regiões específicas da Ásia – no sudeste e sul principalmente – as monções são os efeitos das diferenças nas temperaturas da região. Ano após ano as monções marítimas se alternam ora trazendo umidade ao continente e provocando muitas chuvas. Já na estação fria ele ocorre ao inverso e geralmente provoca seca.

Ciclones

O ciclone é um vento com forte intensidade e que tem como característica a destruição por onde passa. Alcançando mais de 100 km/h, os ciclones costumam acontecer junto com grandes tempestades e formam correntes em espiral.

A sua formação é mais comum no Atlântico Norte durante o período de outono e inverno no hemisfério norte.

Furacões e tufões

Muito mais forte do que o ciclone, os furacões e tufões ultrapassam a margem dos 200 km/h e são muito perigosos. Muitas cidades já foram totalmente destruídas graças a estes redemoinhos que costumam se formar próximos a mares de água mais quente. O Haiti é um dos exemplos mais recentes de como um furacão pode arruinar todo um país. Os últimos acontecimentos na região deixaram milhares de mortos.

Em 2017, o furação Irma provocou um deslocamento de pessoas na Flórida sem precedentes. Apesar de não causar a destruição anunciada, ele provocou medo e obrigou as pessoas a fugirem para as cidades do norte do estado e também para estados vizinhos.

A diferença entre furação e tufão é que o primeiro se forma no oceano Atlântico e o segundo no Pacífico. Desta forma é usado uma nomenclatura diferente para descrever o mesmo fenômeno que ocorre em locais distintos.


 
Veja também: